Ambientes Hostis: Desastre no Azerbaijão é considerado o pior desde Piper Alpha [vídeo]

newsimage-3-screen_shot_2015-12-04_at_17.52.04


Traduzido por: Pedro Gabriel | Fonte: Oil and Gas People

Pelo menos 32 mortos no pior desastre offshore desde Piper Alpha

O site Oil and Gas People publicou no dia 05/12/2015 que pelo menos 32 pessoas morreram no que está sendo chamado de pior desastre offshore desde Piper Alpha.

Conheça a história do desastre de Piper Alpha.

O incidente no mar Cáspio, ocorrido no dia 04 de dezembro na Plataforma 10 no campo offshore de Guneshi, Azerbaijão. Acredita-se que o mal tempo uma linha de gás, causando uma explosão e uma enorme bola de fogo, que consumiu a plataforma.

O resgate foi prejudicado devido às ondas de 8m e aos ventos fortes. O Oil and Gas People disse que apenas algumas horas após o incidente, já haviam recebido relatos de pessoas trancadas em baleeiras sendo “arremessados” contra a plataforma, o porta-voz da State Oil (SOCAR) disse oficialmente que todos haviam evacuado as instalações em segurança. A região é conhecida pelo controle da mídia e pouca informação tem sido divulgada pelo SOCAR, que não atendeu as ligações do Oil and Gas Peolple.

Um comitê independente afirmou que eles acreditam que 32 pessoas faleceram enquanto 42 trabalhadores foram resgatados. Mirvari Gakhramanly, a frente do Comitê de Proteção dos Direitos dos Petroleiros de Azerbaijão (Oil Workers Rights Protection Committee) também confirmou que o fogo na plataforma foi finalmente controlado.

Várias testemunhas contataram o Oil and Gas People com relatos horríveis sobre corpos boiando na água enquanto as embarcações de resgate lutavam para chegar próximas da plataforma em chamas.

SOCAR disponibilizou três números de resposta à emergências, mas o Oil and Gas People não conseguiu uma resposta em dois desses números, enquanto o terceiro desligou repetidamente enquanto eles ligavam.

Os números são: +994 12 5211019, +994 50 2293521 e +994 50 2457005.


 

Seguir o TecPetro por e-mail

Cadastre seu endereço de e-mail para seguir o TecPetro e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Deixe seu comentário